publicado por berenice, em 12.07.14 às 18:50link do post | favorito

 E o mês de Julho repete-se com o seu calor tórrido.

Nestas longas tardes o pensamento espraia-se e a vontade de sair de mim é quase insuportável. Talvez fosse boa ideia vestir uma roupa larga e clara, calçar uns ténis e correr por aí. Mas não me apetece bater a calçada de ruas que conheço de olhos fechados e que me são antipáticas, ouvir o murmurar deste vento através das folhas das árvores que já nem contemplo por me parecerem sem vida. Amá-las é como que uma traição às minhas árvores e à canção do vento que é única na minha terra natal. Ás vezes dou por mim a  viajar e a repousar nos seus braços  até quase conseguir agarrar o suave murmurar das searas e sentir o aroma do Estio que faz estalar a terra. Uma terra que pulsa porque tem coração. Um coração que bate em compasso com o meu e me dá paz apesar da sede. É uma terra dura e clara mas também vermelha e solta dependendo dos lugares mas o que interessa é que tem voz. E é essa voz que se ergue e chama por mim.


De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Julho 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds