comentar
publicado por berenice, em 03.01.12 às 15:08link do post | favorito

       Ele era engraçadíssimo a falar.

Quando iniciava uma frase gaguejava um pouco e sorria, um sorriso lindo. Penso que aquele sorriso tanto podia ser natural, decorrente do que ia dizer, como podia ser uma certa forma de conviver com a gaguez, fazendo humor com as suas próprias limitações.

      Se não repousasse tão longe e se me deixassem, deixaria lá gravada apenas uma palavra: obrigada.

      Obrigada pela infância que passamos juntos; obrigada por me amares tal como eu era; obrigada por me fazeres sentir especial pois sei que sem mim ficavas sem norte assim como eu o ficava sem ti.

      Ausentaste-te antes que este controverso ano de 2012 entrasse em palco. A minha intuição diz-me que a tua retirada te poupou a muitos sufocos pois estou expectante e receosa em relação ao que aí vem. As mudanças estruturais (e mesmo as conjunturais) sempre me inquietaram; neste aspeto eramos muito diferentes porque a sua natureza era aventureira. Mas eis que ouço a tua voz: "não tenhas medo, o que vier soará".


mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds