comentar
publicado por berenice, em 15.08.10 às 18:56link do post | favorito

 Há dias fui às compras e trazia numa das mãos um garrafão de água. Um rapaz cuja cara não me era estranha e que  logo identifiquei como antigo aluno, aproximou-se, sorriu para mim e prontificou-se a carregar o garrafão até ao carro. Achei a insistência um bocado fora de propósito até porque na outra mão eu trazia apenas um saquinho com pouco peso. Caminhamos aqueles cem metros a falar não sei do quê e eu a sentir-me desconfortável. Confesso que não gosto deste tipo de situações. Sinto-me em dívida desnecessariamente. Finalmente chegamos ao carro. Abri a porta e no banco de trás arrumei o saquinho. Saquei do garrafão e ajeitei-o também para que não fosse aos solavancos até casa. O rapaz não ia embora mesmo depois de eu lhe agradecer e de dizer que tinha gostado de o reencontar. E ali permanecia especado até que finalmente me disse:

- Professora, não foi por isto que eu trouxe o garrafão. Mas tem dois euros que me dê?

Fiquei atordoada a pensar que tinha ido em perseguição de 5 litros de água mineral a 28 cêntimos e, de repente, aquele garrafão me custava 2 euros e 28 cêntimos. O rapaz continuava a dizer que era para o autocarro e  que a tia não aparecera e que o bilhete era um euro e meio mas dois euros chegavam.... dei-lhe os dois euros mas confesso que fiquei muito incomodada.


mais sobre mim
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO